Histórico de criação das brinquedotecas: é bom saber!

Histórico de criação das brinquedotecas: é bom saber!

A ideia que temos de criança tem se modificado com o tempo. A criança é um ser único e completo, mas que ao mesmo tempo continua a crescer e se desenvolver. Desde cedo, a criança é capaz de interagir com o meio natural, social e cultural e fazer suas escolhas.

Entretanto, durante muito tempo, as crianças não possuíam identidade própria, só vindo a tê-la quando conseguissem fazer  coisas semelhantes àquelas realizadas pelos adultos, com as quais tinham contato. As crianças eram consideradas miniatura de adultos e dos adultos que lidavam com as crianças não era exigida nenhuma preparação. As diferenças e semelhanças entre as crianças, à originalidade de seu pensamento não eram pensadas, entendia-se essa etapa como páginas em branco a serem preenchidas, preparadas para a vida adulta.

Hoje, as crianças são entendidas como sujeitos com ideias, vontades e sentimentos próprios que se desenvolvem a partir de experiências e oportunidades que têm. Esses aspectos, as maneiras que vemos e concebemos a infância são fundamentais para nortear as nossas práticas pedagógicas.

Nesse sentido, a brinquedoteca se constitui como espaço de práticas e vivências pedagógicas cujo principal objetivo é proporcionar liberdade para que a criança possa explorar o lúdico e mergulhar em sua imaginação. É o espaço onde a criança pode expressar sua criatividade, unindo a brincadeira e a aprendizagem.

A brinquedoteca oportuniza a experiência da divisão e da troca, e esse sistema de compartilhamento de brinquedos surgiu em 1934, em Los Angeles, nos Estados Unidos. Nessa época, o país passava por uma forte depressão econômica e as crianças estavam furtando os produtos de uma loja de brinquedos. A fim de acabar com o problema, o dono da loja resolveu criar um serviço de empréstimo de brinquedos, utilizado até hoje nas brinquedotecas (CUNHA, 1992).

Em nosso país, no Brasil, o primeiro projeto de brinquedoteca surgiu com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE,   em 1971. Num primeiro momento, a Associação realizou uma grande exposição de brinquedos pedagógicos para os pais dos excepcionais, professores e alunos. Com o sucesso da exposição, a APAE implantou a Ludoteca, que consistia num sistema de rodízio de brinquedos e materiais pedagógicos em que os brinquedos eram utilizados nos moldes de uma biblioteca tradicional, com empréstimo e devolução (CUNHA, 1992).

Da maneira como são organizadas e conhecidas hoje, voltadas para o ato de brincar e través desse ato adquirir importantes conhecimentos e aprendizagens, a primeira brinquedoteca foi criada pela Escola de Educação Especial de Indianópolis, hoje chamada de Instituto Indianópolis, localizado na cidade de São Paulo. Devido a importância das atividades lúdicas e das experiências proporcionadas pelas brinquedotecas para as crianças na educação infantil, em 1984 foi criada a Associação Brasileira de Brinquedotecas – ABBri, que é uma entidade sem fins lucrativos, e visa divulgar o conceito de brinquedoteca e evidenciar sua relevância para a educação das crianças pequenas (MALUF, 2003).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CUNHA, N.H.S. Brinquedoteca: definição, histórico no Brasil e no Mundo. In: FRIEDMANN, A. et al (Coord.). O direito de brincar: brinquedoteca. São Paulo: Scritta/Abrinq, 1992.

MALUF, Angela Cristina Munhoz. Brincar: prazer e aprendizado. Petrópolis: Vozes, 2003.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *